quinta-feira, 29 de março de 2007

Crônicas do Lago (3)


Às margens deste velho lago sento-me. O toque do meu corpo nú na pedra fria me toma um breve e tímido arrepio. Meus pés imersos na água fresca e cristalina.
Lembro-me ainda do tempo em que nadávamos aqui.
Contemplo seu doce semblante no espelho d'água, triste pensar que não podes mais amar-me de onde está. Talvez esteja submerso em algum lugar neste lago.
Eu estive aqui todo o tempo, não pôdes me ver. Nunca mais poderás.

Desculpe-me, mas esta noite não voltarei para casa. Procurar-te-ei neste lago até achar-te imerso entre as folhas das árvores no fundo. Sei que esperas por mim ainda vivo, e mesmo que não estejas, darei-te minha vida para que respires novamente.

Mergulhei na gélida água, em busca do perdido.

Um comentário:

Sofia Amundsen disse...

Te dou total apoio para a publicação do livro " Crônicas do Lago" !

ps: Criei o blog finalmente, biscate!